Lore:Malacath

A UESPWiki – Sua fonte de The Elder Scrolls desde 1995

Malacath é o Príncipe Daédrico cuja esfera é a proteção dos desprezados e oprimidos, o guardião do Voto Juramentado, e da Maldição de Sangue.[1] Malacath foi criado quando Boethiah comeu o espírito ancestral Altmeri, Trinimac, por mais que Malacath que este conto é muito "literal".[2][3][4][5] Seguidores devotos elfos de Trinimac se tornaram os Orsimer ("Povo Pária" em Élfico), ou Orcs.[2] Alguns discordam, dizendo que Trinimac ainda existe e Malacath é uma entidade separada.[6] Malacath não é reconhecido como um Lorde Daédrico por seus semelhantes,[2] o que encaixa perfeitamente a sua esfera. Os Dunmer dizem que ele é também Malak (ou Malauch)[2], o deus-rei dos Orcs e um dos Quatro Cantos da Casa dos Problemas que testa os Dunmer para fraquezas físicas.[3][4] Outros nomes incluem "Mauloch"[6], o "Deus das Maldições"[7], "Orkey", "Velho Batente"[2] ou "Pai-Orc".[4] Malacath despreza fraqueza física, daí a força acima da média das criaturas associadas a ele. Os horríveis e estúpidos Ogrims são os serventes dste "daedra maligno".[8]

Malacath é aliado de Mephala e seu inimigo é Ebonarm. Seu dia de invocação é o 8o da Geada de Outono. Seu plano de Oblivion é Ashpit, descrito por consistir de nada mais que areia, palácios de fumaça e criaturas de vapor: "angústia, traição e promessas quebradas como cinza que preenche o ar amargo".[9] Levitação e respiração mágica são essenciais para a sobrevivência lá.[9] O santuário de Malacath em Cyrodiil, onde é representado como um Orc musculoso pronto para atacar com uma pesada arma, é inteiramente patrocinado por Orcs que odeiam "pessoas bonitas".[10]

Muitos pintam Malacath como um Príncipe que é muito possessivo de seus seguidores e que se torna vingativo quando são injustiçados.[11] O Herói de Daggerfall extinguiu a sede de vingança de Malacath ao matar um pretendente ingrato que havia o desprezado depois de receber seus presentes. Malacath pediu ao Nerevarine que procura-se vingança em nome de um aventureiro Orc que foi negado de sua legítima fama e glória depois de vencer uma grande ameaça quando seu parceiro Dunmer tomou todo o crédito.[12] Embora o Orc e o Dunmer originais tenham morrido há muito tempo, a ira de Malacath foi tão grande que ele pediu ao Nerevarine que matasse o único descendente restante do Dunmer (embora, na realidade, outro parente, que pode ou não ser um descendente direto, viveu em Cyrodiil ). O amor autoproclamado de Malacath pela vingança foi tão grande que no início da Quarta Era que ele concordou em ajudar o Príncipe Attrebus Mede em sua missão de derrotar Umbriel simplesmente pois a maldição de seu companheiro Sulera a maldição que ele carregava.[5]

Malacath é conhecido por alforriar ogros, visto que ogros não devem servir a mais ninguém a não ser Malacath.[13] Isso pode implicar que Malacath simplesmente usa trolls, Orcs e ogros em vez de respeitá-los como seus seguidores. No entanto, ele foi ouvido para chamar os ogros de seus "irmãos caçula".[13] Sheogorath afirma que Malacath é "não popular nas festas" e que a "espinha dorsal" simbólica do plano de Oblivion de Malacath é uma espinha dorsal real.[14]

Sheogorath enganou Malacath fazendo-o decapitar seu nobre filho, Emmeg Gro-Kayra, com uma lâmina especial chamada Neb-Crescen. Sheogorath então roubou a cabeça de Emmeg, prendendo sua alma nas Ilhas Arrepiantes para sempre.[11]

Artefatos

Couro do Salvador

O Couro do Salvador é tipicamente associado a Hircine, por mais que algumas fontes digam que foi feito por Malacath.[15]

Flagelo

Flagelo (também conhecido como Martelo de Mackkan, Perdição de Daedra, o Flagelo Daédrico ou Flagelo, Abençoado de Malacath) é um lendário artefato Daédrico. Forjado em ébano sagrado nos Fogos (ou Fontes) de Fickledire, e é associado a Malacath. É uma arma feroz e assume a forma de uma maça de aço ou ébano. Malacath dedicou isso aos mortais e a qualquer Daedra que tente invocar seu poder, sendo banido ao Vazio. Também tem a habilidade de bani-los ao Vazio com um único golpe, assim como pode conjurar Daedra como os Dremora e Scamps de Oblivion para fazer o que portador desejar. Foi descrita como "defensor corajoso do desamparado", que pode estar relacionado ao papel de Malacath como Príncipe Daédrico dos exilados.

Flagelo foi usado uma vez por Mackkan, que baniu muitos dos lacaios de Mehrunes Dagon com ele. A maça eventualmente ficou em posse do Terceiro Império e foi pendurada no arsenal de Battlespire. A Legião das Sombras a usou contra Lordes Daedra em nome do Imperador. No rescaldo da invasão de Dagon ao Battlespire durante o Simulacro Imperial, a maça escondida foi recuperada da seção Caitiff do Battlespire por um aprendiz de Mago de Batalha e usado para ajudar a retrair as forças Daedra. Um Daedra chamado Vonshala Keriayn estava interessado em obter a maça em troca de um pedaço da guia vazia do Battlespire, mas ela foi banida depois de tentar empunhá-la. Flagelo sobreviveu a destruição de Battlespire e retornou a Tamriel. Agora vaga pela terra com aventureiros. A maça esteve em posse de Divayth Fyr, que a manteve em Tel Fyr, uma torre Telvanni em Morrowind, na Baía Zafirbel. O Nerevarine supostamente liberou a arma da coleção de Fyr em 3E 427.

Volendrung

Volendrung, also known as the Hammer of Might, is an ancient artifact created by the Dwarven Rourken clan. In appearance, it is a large ebony warhammer, although it may sometimes take the shape of a blade. For unknown reasons, Volendrung became a Daedric artifact of Malacath. It is enchanted with the power to paralyze foes and drain them of their strength, conferring it to the wielder. The hammer is prone to disappearing like its Dwarven creators, sometimes resurfacing in days, sometimes in eons.

The hammer originally belonged to the chieftain of the Rourken clan. When his clan refused to join the other Dwemer in the First Council, the chieftain threw his hammer across Tamriel, promising to settle where ever it landed. The hammer landed in western Tamriel, and the Rourken called the land Volenfell, literally "City of the Hammer". This area later came to be called Hammerfell. The Rourken's journey across Tamriel is depicted in many of the ruins of the region, Volendrung appearing as a shining star showing the way.

Sometime after the Dwemer disappeared in 1E 700, Volendrung ironically came to embody the power of Malacath, one of the Dwemer's most bitter foes. Circa 2E 582, Volendrung had seemingly been shattered into several pieces. The hammer was later uncovered during the Imperial Simulacrum by the Eternal Champion in either Morrowind or Hammerfell (reports vary). In the events leading up the Warp in the West, an agent of the Blades summoned Malacath seeking power, and a worshipper of the Prince gave the agent Volendrung in return for slaying a Daedra Seducer who had betrayed him.

Volendrung later came into the possession of Divayth Fyr of Tel Fyr, Vvardenfell. He kept it in a locked chest in his Corprusarium, near Yagrum Bagarn's living area. A hobby of his was to invite thieves to steal from his chests to amuse him, as they would often fail. In 3E 427, the Nerevarine succeeded in unlocking the chest and liberating Volendrung. In 3E 433, the Champion of Cyrodiil summoned Malacath and was tasked with freeing the ogre slaves of Lord Drad from his mines. In return, Malacath gifted the Champion with Volendrung.

Circa 4E 201, the Orcish settlement of Largashbur began to be openly attacked by the giants in the area. The giants had desecrated a shrine to Malacath and taken possession of Shagrol's Warhammer, a mundane hammer. Malacath cursed the tribe for its weakness, and the Orcs asked how they could obtain forgiveness. Chief Yamarz was tasked with clearing the giants from Malacath's shrine by the Prince. He was accompanied by the Last Dragonborn, but he was a weak leader and was slain when he turned on the Dragonborn. Malacath praised the Dragonborn for killing Yamarz. He then ordered the Dragonborn to return Shagrol's Hammer to Largashbur. Malacath transformed the hammer into Volendrung and gave it to the Dragonborn, while naming Gularzob as the new chief of the tribe.

Elmo de Oreyn Garra de Urso

O Elmo de Oreyn Garra-de-Urso é um prezado artefato que uma vez pertenceu ao lendário caçador de Floresta de Valen, Oreyn Garra-de-Urso. Por mais que lendas digam que Garra-de-Urso tenha realizado grandes feitos, estes foram creditados falsamente e foram performados na verdade por seu amigo, um orc chamado Kharag gro-Khar. Após a decaída de Oreyn, causada pela Gripe Knahaten, seu Elmo permaneceu como monumento a sua estatura, por mais que tenha se perdido após seu clã se desfazer. O elmo em si é um crânio encantado, dito por melhorar a agilidade e resistência do portador.

Em 3E 427, Malacath enviou o Nerevarine para terminar com a linha de sangue de Garra-de-Urso e destruir sua fama não merecida. O suposto último descendente do herói Élfico era Farvyn Oreyn. Farvyn sabia da falsidade de seu ancestral, e procurou realizar feitos incríveis para justificar sua própria fama. Com sua morte, Malacath acreditou que a genealogia havia terminado e recompensou o Nerevarine com o Elmo. O Nerevarine então vendeu o Elmo a Torasa Aram, que colocou-o em exposição no Museu de Artefatos de Forte da Lamentação.

Algum tempo após os acontecimentos de 3E 427, o elmo foi trazido de Morrowind para Cyrodiil e dado a Modryn Oreyn, outro descendente de Garra-de-Urso que era desconhecido por Malacath. Modryn foi o segundo comando do ramo Cyrodíilico da Guida dos Lutadores. Em 3E 433, depois que a empresa Companhia da Floresta Negra quase arruinou a aliança, Modryn deu o comando ao novo Mestre da Guilda dos Lutadores, que substituiu Vilena Donton. Modryn esperava que o novo Mestre restaurasse o nome de Oreyn à glória usando o elmo de seu antepassado

Notas

Galeria

Referências

  1. ^ [[Lore:O Livro de Daedra|]]
  2. ^ a b c d e [[Lore:A Real Natureza dos Orcs|]]
  3. ^ a b [[Lore:A Casa dos Problemas|]]
  4. ^ a b c Variedades da Fé no ImpérioIrmão Mikhael Karkuxor
  5. ^ a b [[Lore:Senhor das Almas|]]
  6. ^ a b Pocket Guide to the Empire, 3rd Edition: OrsiniumImperial Geographical Society, 3E 432
  7. ^ Livro Quatro de 2920, A Último Ano da Primeira Era - Mão da ChuvaCarlovac Townway
  8. ^ [[Lore:Escura Escuridão|]]
  9. ^ a b [[Lore:Os Portões de Oblivion|]]
  10. ^ Diálogo de Shobob gro-Rugdush durante a Crise do Oblivion.
  11. ^ a b [[Lore:16 Acordos de Loucura, v. XII|]]
  12. ^ Diálogo de Malacathcom o Nerevarine.
  13. ^ a b Diálogo de Malacath durante a Crise do Oblivion.
  14. ^ Diálogo de Sheogorath durante a Crise do Oblivion.
  15. ^ [[Lore:Pesquisas de Tal Marog Ker|]]

Veja Também

Livros

Predefinição:Aedra e Daedra