Lore:Pacto Verde

A UESPWiki – Sua fonte de The Elder Scrolls desde 1995
Lore: História(Redireccionado de Lore:Green Pact)


Mas Y'ffre pegou o Lodo e o ordenou. Primeiro, ela falou sobre o Verde, a floresta e toda a vida vegetal nela. Ela deu ao Verde o poder de moldar a se mesmo de acordo com sua vontade, pois esse foi seu primeiro conto. Os Elfos foram o segundo conto de Y'ffre. Conforme Y'ffre contava a história, os Elfos tomaram a forma que têm hoje. Y'ffre os deu o poder de contar histórias, mas os avisou sobre tentar moldar a si mesmos ou o Verde. Remoldar e destruir a floresta era proibido. Ao invés, Y'ffre elogiou os Elfos da Floresta para o Verde, para que eles pudessem pedir ao Verde que os desse abrigo e passagem segura, e enquanto eles o respeitassem, ele obecederia. — O Lodo: uma Fábula

O Pacto Verde, também conhecido como o Tratado da Fronda e da Folha,[1] é um rigoroso código apoiado por muitos dos Bosmer da Floresta de Valen.[2] É dito que ele tem guiado suas existências desde o começo da “grande história”. Suas regras são claras. Não cause dano ao Verde da Floresta de Valen. Não coma nada que venha das plantas. Coma apenas carne. Quando inimigos forem conquistados, sua carne deve ser comida, não deixada para apodrecer. Não mate desperdiçadamente. Não assuma a forma das bestas.[3]

Dizem que os Bosmer do Pacto Verde atacam qualquer um que faça mal à floresta em que vivem, a qual chamam de o Verde.[4] Entretanto, eles normalmente não se importam se outras raças cortarem árvores (mais notavelmente no caso dos Vinedusk Rangers e os Orcs da Floresta em seus respectivos territórios), e são conhecidos por comprar madeira delas.[5][6][7] O canibalista “Mandato da Carne” do Pacto os separa religiosamente de outras culturas. A exigência de comer os inimigos caídos antes de três dias se passarem é provavelmente a parte mais chocante do Pacto para forasteiros.[2][8] Apesar de muitos Bosmer ainda tentarem respeitar o Pacto Verde, a prática de comer os inimigos mortos foi reduzida na Segunda Era, e é tipicamente praticada apenas nos vilarejos mais remotos.[8] Os membros da família do guerreiro que abateu o inimigo podem ajudá-lo com sua refeição.[2][8] Os Bosmer que honram esta faceta do Pacto Verde tipicamente tentam se preparar para batalhas extensas fazendo jejum.[2]

Os Bosmer supostamente fizeram o Pacto Verde com Y'ffre em troca da patronagem e proteção de dela.[9] Como resultado, eles usam produtos de ossos, animais e insetos amplamente; madeira importada é utilizada quando necessário.[2][9] Ao invés de beber o licor convencional feito de grãos ou frutas, os Bosmer consomem jagga (leite de porco fermentado) e podrido.[10] Podrido é feito de carne fermentada temperada com órgãos de tripses, leva anos para ser fermentado, e é considerado uma preciosa bebida ritualística que simboliza “os músculos do javali, o poder da floresta, a força do povo Bosmer”. Nenhum casamento pode ser realizado sem ele.[11] Acredita-se que Y’ffre primeiramente os abençoou com sua forma, portanto sua aparência é sagrada, então embora os Bosmer possam tomar a forma das bestas, o Pacto normalmente proíbe esta prática.[3] Entretanto, a Caçada Selvagem é considerada um resultado do Pacto Verde: em troca de sua patronagem à Y’ffre, os Bosmer podem realizar um ritual em tempos temíveis que transforma os participantes em uma horda de bestas metamorfas e selvagens, que seguem para assolar os inimigos dos Bosmer.[12]

O Pacto Verde causou a derrubada das árvores da Floresta de Valen por qualquer um, seja forasteiro ou nativo, um crime contra a religião Bosmeri.[13] Praticamente não existem vilas ou cidades construídas pelos próprios Bosmer. Ao invés disso, seu relacionamento com o Pacto lhes concede mágicas habilidades de moldar a floresta para cultivar suas colônias. O processo exato não é claro, mas relatos afirmam que se trata de um evento altamente ritualístico que consiste de cânticos lentos e rítmicos que duram por muitos dias. Bem como no Mandato da Carne, possivelmente está envolvido o jejuar antes e durante o processo.[14][15] Os Bosmer também acreditam que Y’ffre os abençoou com a capacidade limitada de pedir ao Verde para se moldar de acordo com suas necessidades para permitir-lhes viver dentro das restrições do Pacto.[3]

Os princípios do Pacto levaram a muitas tensões com aliados e outros que desrespeitaram suas crenças. Mais de uma vez, os Bosmer foram à guerra para proteger o Verde.[3] Enquanto muitos Bosmer “civilizados” não aderem tão rigorosamente ao Pacto Verde quanto seus irmãos tribais, eles mesmo assim frequentemente são firmes defensores do respeito aos seus princípios.[16] Os Bosmer do Pacto Verde são fanáticos em sua devoção a ele. São conhecidos por terem deixado entes queridos morrerem por alguma doença mesmo que os ingredientes alquímicos que poderiam salva-los cresçam por perto.[17] Mesmo assim, estes habitantes das florestas não são selvagens: eles foram descritos como pessoas altamente inteligentes, curiosas e racionais com ricas tradições culturais estabelecidas na floresta e em seus líderes espirituais, os Fiandeiros de Y’ffre.[4] Os Fiandeiros são encarregados de aplicar o Pacto Verde, e dizem que são eles que detém o verdadeiro poder em Floresta de Valen.[18] Relatos sugerem que eles possuem grande influência sobre as pessoas, e que seus sermões dizem respeito a mais do que apenas assuntos espirituais.[19] Toda primavera, os Bosmer do Pacto Verde se reúnem no Antro do Envelhecido para um festival no qual eles bebem, contam histórias, e prestam homenagem ao Eldest, um antigo estrangulador.[20]

Os Bosmer do Pacto Verde são conhecidos como guerreiros ferozes, mas também são conhecidos pela hospitalidade que exibem aos forasteiros que respeitam seus caminhos. Suas lendas falam do Lodo, um estado purgatorial reservado aos Bosmer que violam o Pacto (que são chamados de Apóstatas), e também das severas punições que o Verde solta sobre aqueles que poderiam machucá-lo.[4][21]

Galeria

Notas

  • Devido à dieta deles, os Bosmer do Pacto Verde são supostamente sujeitos a flatulência, que eles chamam de "alimentar o fogo".[22] Alguns Bosmer, entretanto, dizem que essas afirmações são imprecisas e ofensivas.[23]
  • Uma vez por geração, os Bosmer celebram o Atar-de-Mãos, o casamento do the Silvenar e da Dama Verde, que é visto como uma renovação de seu pacto divino.[24][25]
  • Um grupo de Bosmer conhecidos como os "Perjuros" se recusou a concordar com o Pacto Verde nos tempos antigos. Eles são subjugados e queimados no Limbo.[26]

Veja Também

Livros

Referências

  1. ^ Arquitetura ArbóreaCirantille
  2. ^ a b c d e Guia de Bolso do Império, 1º Edição: Domínio AldmeriSociedade Geográfica Imperial, 2E 864
  3. ^ a b c d [[Lore:O Pacto Verde e o Domínio|]]
  4. ^ a b c [[Lore:Os Bosmer do Pacto Verde: Observações|]]
  5. ^ [[Lore:Por Que Cultivamos|]]
  6. ^ Loading screen de Raízes do Silvenar no ESO
  7. ^ Eventos de ESO
  8. ^ a b c Costumes de Guerra dos Bosmer TribaisMistral Aurelian Teriscor
  9. ^ a b [[Lore:Guia de Bolso do Império, 3º Edição/Floresta de Valen|]]
  10. ^ [[Lore:O Guia Melhorado do Imperador de Tamriel/Floresta de Valen|]]
  11. ^ Diálogo de Galithor no ESO
  12. ^ [[Lore:Floresta de Valen: um Estudo|]]
  13. ^ Táticas de Unidades MistasCodus Callonus
  14. ^ [[Lore:Morada da Floresta: um Guia de Bolso|]]
  15. ^ [[Lore:Mágica do Pacto Examinada|]]
  16. ^ [[Lore:Registro do Construtor de Marbruk|]]
  17. ^ [[Online:Diário de Gathiel|]]
  18. ^ [[Lore:Os Elfos da Floresta de Valen|]]
  19. ^ [[Lore:Do Diário de Munamur|]]
  20. ^ [[Lore:O Envelhecido: o Conto de um Peregrino|]]
  21. ^ [[Lore:O Lodo: uma Fábula|]]
  22. ^ [[Lore:Etiqueta Élfica da Madeira: uma Perspective Imperial|]]
  23. ^ [[Online:Nota sobre "Etiqueta Élfica da Madeira"|]]
  24. ^ [[Lore:Diplomacia durante o Atar-de-Mãos|]]
  25. ^ [[Lore:Uma Aliança Incomum|]]
  26. ^ [[Lore:Perjuros do Limbo|]]

Nota: as seguintes referências não são encontradas no jogo. Elas são incluídas para providenciar um fundo mais sólido ao artigo, mas podem não refletir lore estabelecida.

  1. ^ Respostas da ZeniMax sobre Elder Scrolls Online.