Online:Monomyth: Dragon God & Missing God

A UESPWiki – Sua fonte de The Elder Scrolls desde 1995
ON-icon-book-Divines Lore 03.png
Informações do Livro
Veja também Versão da Lore
Anterior None Próximo The Myth of Aurbis
Coleção Divines and Deities
Localizações
Encontrado nos seguintes lugares:
Monomyth: Dragon God & Missing God
Excerpt of a theological book containing the common creation myths

"Em Mundus, conflito e disparidade são o que trazem mudança, e mudança é a mais sagrada das Onze Forças. Mudança é a força sem foco ou origem."—Oegnithr, Taheritae, Ordem do PSJJJJ

Posto simplesmente, a cisma da visão do mundo Humana/Aldmeri é o relacionamento do mortal com o divino. Humanos tomam o caminho humilde que foram criados por forças imortais, enquanto os Aldmer clamam ser descendentes deles. Não parece muito, mas é uma distinção que colore o resto das divergentes mitologias deles.

Todas as religiões Tamriélicas começam da mesma forma. Humano ou mer, as coisas começam com o dualismo de Anu e Seu Outro. Essas forças gêmeas atendem vários nomes: Anu-Padomay, Anuiel-Sithis, Ak-El, Satak-Akel, É-Não É. Anuiel é a Luz Infinita Inefável, Sithis é a Ação Inexpressável Corrupta. No meio está o Talvez Cinza (ou "Nirn" em Ehlnofex).

Na maior parte das culturas, Anuiel é honrado por sua parte na ação recíproca que cria o mundo, mas Sithis é tido em maior estima pois ele é quem causa a reação. Sithis é, por isso, o Criador Original, uma entidade que intrinsecamente causa mudança sem desenho. Até o hist reconhece este ser.

Anuiel também é percebido como a Ordem, oposto do Caos-Sithis. Talvez seja mais fácil para mortais verem a mudança do que perfeito estase, pois Anuiel normalmente é relegado ao fundo mítico das façanhas de Sithis. Nas histórias Yokudanas, que estão entre as mais vívidas no mundo, Satak somente é referido algumas vezes, como "o Hum"; ele é uma força tão prevalente que não está lá.

De qualquer forma, destes dois seres vieram os et'Ada, ou Espíritos Originais. Para humanos, estes et'Ada são os Deuses e Demônios; para os Aldmer, são os Aedra/Daedra, ou os "Ancestrais." Aodos os panteões Tamrielicos completam suas listas destes et'Ada, apesar de os membros divinos mudarem de cultura para cultura. Como Anu e padomay, todavia, todos esses panteões possuem arquétipos do Deus Dragão e o Deus Sumido.

O Deus Dragão e o Deus Sumido

O Deus Dragão é sempre relacionado ao Tempo e é universalmente reverenciado como o "Primeiro Deus". Ele é normalmente chamado de Akatosh, "cujo poleiro da Eternidade permitiu o dia". Ele é o Deus central do Império Cyrodilico.

O Deus Sumido é sempre relacionado ao Plano Mortal, e é a figura chave na cisma Humana/Aldmeri. O 'sumido' se refere à sua falta no panteão (outro sofrimento mental interpretado de várias formas), ou a remoção de seu 'brilho divino' pelos outros imortais. Ele é normalmente chamado de Lorkhan, e seus epitáfios são muitos, igualmente malditos e devotos.

Note que Tamriel e o Plano Mortal não existem ainda. O Talvez Cinza ainda é o playground dos Espíritos Originais. Alguns estão mais ligados à luz de Anu, outros ao desconhecido Vazio. Seu fluxo constante e ação recíproca aumenta o número deles, e suas personalidades levam tempo para se formar. Quando Akatosh se forma, o Tempo começa, e fica mais fácil para alguns espíritos perceberem a si mesmos como seres com um passado e um futuro. Os mais fortes dos espíritos reconhecíveis se cristalizam: Mephala, Arkay, Y'ffre, Magnus, Ruptga, etc., etc. Outros continuam como conceitos, ideias, ou emoções. Um dos mais fortes destes, recém formado e que os outros chamam de Lorkhan, detalha um plano para criar Mundus, o Plano Mortal.

Humanos, com a exceção dos Rubraguardas, veem este ato como misericórdia divina, uma iluminação onde criaturas inferiores podem alcançar a imortalidade. Aldmer, com a exceção dos Elfos Negros, veem este ato como corrupção mortal, um truque que separou a conexão deles com o Plano Espiritual.



Ant.: Nenhum Acima: Monomyth Próx.: The Myth of Aurbis