Online:Monomyth: "Shezarr's Song"

A UESPWiki – Sua fonte de The Elder Scrolls desde 1995
ON-icon-book-Divines Lore 05.png
Informações do Livro
Veja também Versão da Lore
Anterior Lorkhan and Satakal Próximo The Heart of the World
Coleção Divines and Deities
Monomyth: "Shezarr's Song"
The Cyrodilic "Shezarr's Song"

Esta era uma coisa nova que Shezarr descreveu ao Deus, se tornando mães e pais, sendo responsáveis, e fazendo grandes sacrifícios sem garantia de sucesso, mas Shezarr fala lindamente com eles, e os moveu além de mistério e lágrimas. Então os Aedra deram à luz o mundo, as bestas, e os seres, fazendo estas coisas de partes de si mesmos. Este nascimento foi muito doloroso, e depois os Aedra não eram mais jovens e fortes e poderosos, pois eles existiam desde o início dos dias.

Alguns Aedra ficaram desapontados e severos pelas suas perdas, e furiosos com Shezarr, e toda sua criação, pois eles sentiam como se Shezarr tivesse os traído. Estes Aedra, os Deuses dos Aldmer, liderados por Auri-El, ficaram enojados com a própria debilidade, e com o que haviam criado. Tudo está estragado, por ora, e por todo o tempo, e o máximo que podemos fazer é ensinar as Raças Élficas a sofrer nobremente, com dignidade, e punir a nós mesmos pela nossa tolice, e vingar a nós mesmos em Shezarr e seus aliados. Assim são os Deuses dos Elfos, negros e cismados, e assim são os Elfos, sempre insatisfeitos com a mortalidade, e sempre orgulhosos e estoicos apesar da aspereza deste mundo cruel e indiferente.

Outros Aedra olharam a criação, e ficaram satisfeitos. Estes Aedra, os Deuses dos Homens e Bestas, liderados por Akatosh, aplaudiram e cuidaram de seus enfermos, as Raças Mortais. "Nós sofremos, e somos diminuídos, por todo o tempo, mas o mundo mortal que fizemos é glorioso, enchendo nossos corações e espíritos com esperança. Vamos ensinar às Raças Mortais a viver bem, a prender-se a beleza e honra, e a amar um ao outro como os amamos." Assim são os Deuses dos Homens, ternos e pacientes, e assim são os Homens e as Bestas grandes nos seus corações na felicidade ou no sofrimento, e ambiciosos por mais sabedoria e um mundo melhor.

Agora quando os Lordes Daedra ouviram Shezarr, eles fizeram pouco dele, e dos outros Aedra. "Cortar partes de si mesmo? E perdê-las? Para sempre? Isso é idiotice! Vocês vão se arrepender! Somos mais inteligentes que vocês, pois criaremos um mundo a partir de nós mesmos, mas não vamos cortá-lo, ou deixa-lo rir de nós, mas faremos este mundo dentro de nós mesmos, para sempre nosso, e sob nosso completo controle."

Então os Lordes Daedra criaram os Reinos Daedricos, e todas as patentes de Daedra Inferiores, grandes e pequenos. E, pela maior parte, os Lordes Daedra ficaram satisfeitos com este arranjo, pois eles sempre tiveram cultuadores e serventes e brinquedos por perto. Mas, ao mesmo tempo, eles algumas vezes olhavam com inveja para os Reinos Mortais, pois os mortais sejam fracos e desprezíveis, suas paixões e ambições também eram mais surpreendentes e interessantes que as palhaçadas dos Daedra Inferiores. Por isso os Lordes Daedra cortejam e seduzem alguns espécimes divertidos das Raças Mortais, especialmente os apaixonados e poderosos. Os Lordes Daedra sentem um prazer especial ao roubar de Shezarr e dos Aedra os maiores e mais ambiciosos mortais. "Vocês não são somente tolos por mutilarem a si mesmos," regozijaram os Lordes Daedra, "Mas vocês não conseguem nem manter as melhores peças, que preferem a glória e o poder dos Lordes Daedra a vulgaridade desprezível dos tolos Aedra."



Ant.: Lorkhan and Satakal Acima: Monomyth Próx.: The Heart of the World