Oblivion:Mythic Dawn Commentaries 1

A UESPWiki – Sua fonte de The Elder Scrolls desde 1995
OB-icon-book-Book1.png
Informações do Livro
ID 00022b04
Veja também Versão da Lore
Anterior None Próximo Book 2
Value 40 Weight 5.0
Skill Conjuration
Localizações
Encontrado nos seguintes lugares:
Commentaries on the Mysterium Xarxes Book One
O primeiro livro lido por iniciados do culto Aurora Mítica


A palavra em Daedrico é "DAGON".

DAGON



Que seja bem vindo, noviciado e, primeiro, uma garantia: Mankar Camoran já foi como você, adormecido, imprudente, protonímico. Nós, mortais, deixamos o oniromanto do nascimento os mesmos, desmanteados, exceto pela simbiose com nossas mães, assim para a prática e assim a reaproximação, até que finalmente possamos, através de novos olhos, deixar nossos lares sem necessidade ou medo de que ela fique para trás. Neste momento nós a destroçamos para sempre e entramos no desmene de Lorde Dagon.

Uma porta para esse desmene, Leitor, este livro é, e embora você seja um destruidor, ainda deve se submeter a bloqueios. Lorde Dagon só terá os espertos o bastante para fazer uma pausa; tudo mais que o Aurbis afirma em sua tola corrida. Caminhe primeiro. Cautela. A impaciência que você sente é sua primeira escrava a decapitar.

Isto faça como Lord Dagon escreveu: venha devagar e traga quatro chaves. Saiba que, então, você é a realeza, uma nova raça de destruidor, cujo jardim inundará de flores conhecidas e desconhecidas, como na aurora mítica. Assim você retornará ao seu primeiro lamento primitivo e ainda assim sairá diferente. Será desta vez neonimbiose, mestre semelhante ao Mestre, cuja Mãe é a miasma.

Nos cantos todos nos conheceram, e nenhum suportou nossa passagem, exceto com tremor. Talvez você tenha vindo até nós através da guerra, do estudo, da sombra ou do alinhamento de certas cobras. Embora cada caminho importe em sua maneira, o prêmio é sempre assim: bem-vindo, noviciado, você estar aqui significa que você tem a dignidade dos reis. Procure seu bolso agora e olhe! Há a primeira chave, brilhando com a luz de uma nova aurora.

Tal como a noite segue o dia, sabemos que essa visão primária se tornará semelhante ao turbulento mar da tarde, onde todas as fés são testadas. Mais uma vez, uma garantia: até mesmo o Usurpador caiu sob o Ilíaca antes de se levantar para reivindicar sua frota. Tema apenas por um segundo. A crença abalada é como a água para um propósito: no jardim da Aurora, respiraremos realidades inteiras.

A entrada é feita como Lord Dagon escreveu: venha devagar e traga quatro chaves. Nossa Ordem é baseada nos princípios de sua poderosa navalha: Noviciado, Cavaleiro em Missão, Capelão e Mestre. Deixe os maus queimarem em sua luz como se pelo excesso de nossa visão. Então nosso conhecimento irá corretamente. No entanto, lembre-se de que sua visão ainda é estreita e, embora tenha o convite, você não tem o endereço.

Lorde Dagon escreveu um livro para sí, nos desertos da ferrugem e feridas, minha própria convocação veio daí. Seu nome é o 'Mysterium Xarxes', agregado ao Aldmeretada, antepassado da esposa de todo enigma. Cada palavra é alimentada à navalha e secreta, mais fina que os cataclismos, tingida como bebida vermelha. Eu mencionar isso é uma prova do seu novo posto, minha criança. Seu nome agora está cortado em seu peso.

Residência, palácio, cabana ou caverna, você deixou para trás todos os mundos de neblina da concepção. Nu-Mantia! Liberdade! Alegrai-vos na promessa do paraíso!

Eterna, ela formará e reformará ao seu redor, feitos como entidades, todos os sistemas, apenas uma hora antes de florescerem a somas-zero, florescerem como vestimentas, vestimenta divina usada para dançar aos pés dourados de Lorde Dagon. Em seu primeiro braço, uma tempestade, no segundo a precipitação de chuva atormentada, no terceiro toda mecha de Anu e no quarto os próprios olhos de Padhome. Sinta no seu coração que você tem essa primeira chave, pois ela atingirá alta e baixa no verme podre dos falsos céus.

Gritando, eu vaguei até ficar rouco com o evangelho. Eu havia lido os mistérios de Lorde Dagon e, sentindo-me novamente, enlouqueci com o transbordamento. Minhas palavras não encontraram nenhuma compra até que fiquei oculto. Estas não eram palavras para o comum de Tamriel, cujo clero há muito tempo simulou a existência da Alvorada. Aprenda com meu erro; saiba que a humildade era a sabedoria original de Mankar Camoran. Venha devagar e traga quatro chaves.

Imolar-me àquela aurora permitiu que o cinturão da graça contivesse-me. Quando minha voz retornou, falou com outra língua. Depois de três noites, eu podia falar fogo.

O uso da bebida vermelha, alimentada com navalha, com isto eu vislumbrei o caminho até o jardim e soube que, para informar os outros de seu porto, eu primeiro teria me afogado no mar de busca. Sabei que encontrei minha frota e que você é o emblema da minha esperança. Saudações, noviciado, Mankar Camoran foi uma vez você, dormindo, insensato, protonímico, mas não sou mais. Agora eu sento e espero para festejar contigo em todos os mundos deste cosmos. Nu-Mantia! Liberdade!


Ant.: Nenhum Acima: Comentários da Aurora Mítica Próx.: Comentários da Aurora Mítica 2