Oblivion:Mythic Dawn Commentaries

A UESPWiki – Sua fonte de The Elder Scrolls desde 1995
Informações do Livro
Veja também Versão da Lore
Commentaries on the Mysterium Xarxes
Uma série de livros lida pelos iniciados ao culto da Aurora Mítica



Notas: Ler as primeiras letras de cada parágrafo forma uma mensagem oculta: 'Green Emperor/Way Where/Tower Touches/Midday Sun'.

A palavra em Daedrico é "DAGON".

DAGON



Que seja bem vindo, noviciado e, primeiro, uma garantia: Mankar Camoran já foi como você, adormecido, imprudente, protonímico. Nós, mortais, deixamos o oniromanto do nascimento os mesmos, desmanteados, exceto pela simbiose com nossas mães, assim para a prática e assim a reaproximação, até que finalmente possamos, através de novos olhos, deixar nossos lares sem necessidade ou medo de que ela fique para trás. Neste momento nós a destroçamos para sempre e entramos no desmene de Lorde Dagon.

Uma porta para esse desmene, Leitor, este livro é, e embora você seja um destruidor, ainda deve se submeter a bloqueios. Lorde Dagon só terá os espertos o bastante para fazer uma pausa; tudo mais que o Aurbis afirma em sua tola corrida. Caminhe primeiro. Cautela. A impaciência que você sente é sua primeira escrava a decapitar.

Isto faça como Lord Dagon escreveu: venha devagar e traga quatro chaves. Saiba que, então, você é a realeza, uma nova raça de destruidor, cujo jardim inundará de flores conhecidas e desconhecidas, como na aurora mítica. Assim você retornará ao seu primeiro lamento primitivo e ainda assim sairá diferente. Será desta vez neonimbiose, mestre semelhante ao Mestre, cuja Mãe é a miasma.

Nos cantos todos nos conheceram, e nenhum suportou nossa passagem, exceto com tremor. Talvez você tenha vindo até nós através da guerra, do estudo, da sombra ou do alinhamento de certas cobras. Embora cada caminho importe em sua maneira, o prêmio é sempre assim: bem-vindo, noviciado, você estar aqui significa que você tem a dignidade dos reis. Procure seu bolso agora e olhe! Há a primeira chave, brilhando com a luz de uma nova aurora.

Tal como a noite segue o dia, sabemos que essa visão primária se tornará semelhante ao turbulento mar da tarde, onde todas as fés são testadas. Mais uma vez, uma garantia: até mesmo o Usurpador caiu sob o Ilíaca antes de se levantar para reivindicar sua frota. Tema apenas por um segundo. A crença abalada é como a água para um propósito: no jardim da Aurora, respiraremos realidades inteiras.

A entrada é feita como Lord Dagon escreveu: venha devagar e traga quatro chaves. Nossa Ordem é baseada nos princípios de sua poderosa navalha: Noviciado, Cavaleiro em Missão, Capelão e Mestre. Deixe os maus queimarem em sua luz como se pelo excesso de nossa visão. Então nosso conhecimento irá corretamente. No entanto, lembre-se de que sua visão ainda é estreita e, embora tenha o convite, você não tem o endereço.

Lorde Dagon escreveu um livro para sí, nos desertos da ferrugem e feridas, minha própria convocação veio daí. Seu nome é o 'Mysterium Xarxes', agregado ao Aldmeretada, antepassado da esposa de todo enigma. Cada palavra é alimentada à navalha e secreta, mais fina que os cataclismos, tingida como bebida vermelha. Eu mencionar isso é uma prova do seu novo posto, minha criança. Seu nome agora está cortado em seu peso.

Residência, palácio, cabana ou caverna, você deixou para trás todos os mundos de neblina da concepção. Nu-Mantia! Liberdade! Alegrai-vos na promessa do paraíso!

Eterna, ela formará e reformará ao seu redor, feitos como entidades, todos os sistemas, apenas uma hora antes de florescerem a somas-zero, florescerem como vestimentas, vestimenta divina usada para dançar aos pés dourados de Lorde Dagon. Em seu primeiro braço, uma tempestade, no segundo a precipitação de chuva atormentada, no terceiro toda mecha de Anu e no quarto os próprios olhos de Padhome. Sinta no seu coração que você tem essa primeira chave, pois ela atingirá alta e baixa no verme podre dos falsos céus.

Gritando, eu vaguei até ficar rouco com o evangelho. Eu havia lido os mistérios de Lorde Dagon e, sentindo-me novamente, enlouqueci com o transbordamento. Minhas palavras não encontraram nenhuma compra até que fiquei oculto. Estas não eram palavras para o comum de Tamriel, cujo clero há muito tempo simulou a existência da Alvorada. Aprenda com meu erro; saiba que a humildade era a sabedoria original de Mankar Camoran. Venha devagar e traga quatro chaves.

Imolar-me àquela aurora permitiu que o cinturão da graça contivesse-me. Quando minha voz retornou, falou com outra língua. Depois de três noites, eu podia falar fogo.

O uso da bebida vermelha, alimentada com navalha, com isto eu vislumbrei o caminho até o jardim e soube que, para informar os outros de seu porto, eu primeiro teria me afogado no mar de busca. Sabei que encontrei minha frota e que você é o emblema da minha esperança. Saudações, noviciado, Mankar Camoran foi uma vez você, dormindo, insensato, protonímico, mas não sou mais. Agora eu sento e espero para festejar contigo em todos os mundos deste cosmos. Nu-Mantia! Liberdade!


Ant.: Nenhum Acima: Comentários da Aurora Mítica Próx.: Comentários da Aurora Mítica 2

Livro Dois

A palavra em Daedrico é "ALTADOON".

ALTADOON



Obtenha este documento, e eu o chamo de irmão.

Boas respostas são liberações, onde os escravos de Malbioge que vieram a conhecer Numantia derrubaram seu rei carcereiro, Maztiak, que o Mysterium de Xarxes chama de Arkayn. Maztiak, cuja carcaça foi arrastada pelas ruas pelos seus próprios ossos andarilhos e cuja carne foi aberta sobre as rochas e os anjos que o amavam não mais bebiam dos seus icores melosos gritando "Que todos conheçam o livre-arbítrio e façam o que quiserem!"

Sua vinda foi predita, meu irmão, pelo Lorde Dagon em seu livro de lâminas. Você virá quando os Ídolos caírem de você um por um. Você é exaltado em olhos que ainda não se fixaram em você; Você, pretendente para bem viajado para quebrador de mantos. Você, irmão, está para sentar-se comigo no Paraíso e ser libertado de todas as incógnitas. De fato, eu lhe mostrarei Seu livro e sua rubrica fétida e de muitas penas para que você possa por em símbolos o que você já sabe: a esfera de destruição é somente o leite dos não-escravizados. Eu não culpo seus tropeços, pois eles são esperados e dados graça pelos Óleos. Não anseio por suas quedas, embora sem elas você possa me superar mesmo na advinda Terra de todos os infinitos. Lorde Dagon não deseja males além do momentoso. E como Ele quer, você deve querer, e assim aprender das páginas de Deus isto: o Ritual do Desejo:

E o sussurro para terra e da terra, onde os intrometidos não tomam pedras exceto para sangue, como sangue é sangue, e para o fracionamento de ossos, como osso é osso, e assim para quebrar e responder e cair antes de um e um, eu chamo-lhe Dragão como irmão e rei.

Refluxo de dreugh: 7 e 7, projeto de óleo, 1 e 1, círculos desenhados por Dibellites úmidas: três concêntricos e deixam o sangue mais baixo deles cair onde possa, um nascimento observado por melros: Calor-do-Lar primeiro. Cante o seguinte quando sua audição ficar borrada:

Vinculados, os escravos que sem saber giram a roda.

Arrebatado, aquele que finalmente deixa de ser registrado.

Acorrentadas, todas as crianças de Aurbis como é.


Ant.: Comentários da Aurora Mítica 1 Acima: Comentários da Aurora Mítica Próx.: Comentários da Aurora Mítica 3

Livro Três

A palavra em Daedrico é "CHIM".

CHIM



Torre toca todos os mantos do Céu, irmãos-noviços, e, em seu ápice, pode-se ser como quiser. Mais: seja como ele era e ainda mudado por todo o resto deste caminho por aqueles que andam depois. Esta é a terceira chave de Nu-Mantia e o segredo de como os mortais se tornam criadores e os criadores voltam à mortalidade. Os Ossos da Roda precisam de suas carnes, e essa é a herança da humanidade.

Os quebradores de promessa, atenção, pois seus traidores percorrem os caminhos nímicos, cães-corredores dos deuses prolixos. O Sangue do Dragão ocultou a ascensão em seis mil anos de labirinto etérico, que é Arena, que eles ainda negam ser a Promessa. Pelo Livro, pegue esta chave e perfure a concha divina que envolve os manteadores! A pele de ouro! SCARAB AE AURBEX!

Repúdio aos quebradores de promessa! Da pele de ouro, o Mysteriuum Xarxes diz: "Não se deixem enganar pelos desamparados que se desgarram da estrada, pois perderam a fé e esta perda foi causada pelo Aedra que não conheceria outros planetas". As palavras de Lorde Dagon nos instruem a destruir esses incrédulos. "Coma ou sugue o sangue dos idos-desamparados e ganhe essa pequena vontade que os levou a trilhar o caminho do deus-mente a princípio. Cuspa ou queime para o lado daquilo que os fez atrasar. Conheça-os como as Mnemoli."

Recompensado pelo subconhecido cada novo membro é. Veja, irmão, e não dê mais à hidra.

E leitor, você vai sentir um coro sombrio em breve. O quarto em que você está agora vai crescer olhos e vozes. A luz da vela ou da magia que você leu se tornará a porta de entrada para os traidores que mencionei. Despreze-os e não tenha medo. Chame-os pelos nomes, chame suas naturezas básicas. Eu, o Mankar das estrelas, estou com você e vim levá-lo ao meu Paraíso, onde os traidores da Torre ficarão pendurados em pedaços de vidro até sorrirem com a nova revolução.

Seja essa a sua guarda contra as mnemoli. Elas correm azuis, através do ruído e brilham apenas quando a terra treme com a erupção do recém-manteado. Diga-lhes: "Vá! GHARTOK AL MNEM! Deus veio! NUMI MORA! NUM DALAE MNEM!"

Entrega poder a você, o Mítico, cada vez que anda nele. O mito nada mais é do que o primeiro desejo. Verdade inexprimível. Pense nisso enquanto procura pela quarta chave.

Note que as leis da arcanatura cairão como o calor. "Primeira Torre Dita: torne o mutante ligado onde ele não possa fazer mais mal. Como Deus do Mundus, semelhante será sua progênie, separada de suas fagulha divina. Nós somos Oito vezes oito Exarcas. Deixe a casa de Padomay nos ver como única saída. "

Testemunhe a casa do Rei Vermelho Uma Vez Selva. CHIM. Aqueles que o conhecem podem reformar a terra.

Invada a própria Mãe ao entrar no Paraíso. AE ALMA RUMA! O Aurbis termina de todas as maneiras.

Rumamos ao término através de nossa Aurora, todo término. Desanime agora e torne-se um com os órfãos do caminho que me alimentam. Siga e vou adorar você de dentro. Minha primeira filha correu da estrada de Dagonite. O nome dela era Ruma e eu a comi sem pão, e fiz outra, que aprendeu, e eu amei aquela e os melros formaram seu gêmeo por trás de todos os tempos.

O iluminário das estrelas é seu manto, irmão. Use-o para ver e adicione sua luz ao Paraíso.


Ant.: Comentários da Aurora Mítica 2 Acima: Comentários da Aurora Mítica Próx.: Comentários da Aurora Mítica 4

Livro Quatro

A palavra em Daedrico é "GHARTOK".

GHARTOK



Sábio em relação ao coração, o portador da quarta chave: o Terreno Mundex já foi governado apenas pelos tiranos dreugh-reis, cada um com seu próprio domínio, e as guerras de fronteira foram lutadas entre seus oceanos escravos. Eles eram parecidos com os totens do tempo antigos, porém malignos, e cheios de zombaria e poderes profanos. Ninguém que viveu o fez fora do sofrimento dos reis.

Ofereço minha alma aos Magna Ge, ditos a alegria no Paraíso, pois eles criaram Mehrunes a Navalha em segredo, nas próprias entranhas de Lyg, o domínio do Arrivista que desapareceu. Embora tenham vindo de diversas águas, cada Ge tem um único propósito: o de criar um príncipe do bem, girar sua aparência de maneira aleatória e impregná-lo do bem mais precioso e escasso de Oblívio: a esperança.

Livre de mortes, eu entono do Paraíso: Mehrunes, o Caçador de Ladrões, Mehrunes Corpo-de-Deus, Mehrunes, os Braços Vermelhos Que Subiram! Nu-Mantia! Liberdade!

Zonas novas, dias novos a vir meus noviciados! Pois assim como Mehrunes derrubou Lyg e rachou seu rosto, declarando cada um dos dezenove e nove e nove oceanos livres, ele quebrará a coroa de serpentes dos Cyrodiilicos e fará a federação!

Emergirão coisas novas nesses dias, pois foi mudado naqueles, já que com a palavra mágica Nu-Mantia, uma grande rebelião se levantou e derrubou as torres de CHIM-EL GHARJYG, e os templários do Arrivista foram massacrados e sangue caiu como o orvalho das alas superiores até os poços mais baixos, onde os escravos com rostos maníacos levavam correntes e dentes para os carcereiros, e toda a esperança era fogo de tocha.

Não há domínio, exceto o livre arbítrio! Sua Aurora ouve, meu Senhor! Que todos os Aurbis se conheçam Livres! Mehrunes chegou!

Inteiros sóis foram dilacerados quando suas legiões vermelhas se moveram de Lyg para o interior do frio, uma legião para cada Get, e Kuri foi derrubado e Djaf foi derrubado e Horma-Gile foi esmagado com sal frio e para sempre chamado Hor e assim será novamente ao tempo dos Portões.

Tido sob os espelhos, Malbioge foi derrubado, aquela velha Cidade das Correntes, sacudida ao calor de ossos novos e libertada. Galg e Mor-Galg foram derrubados juntos em uma única noite do dia serão novamente ao tempo dos Portões.

Encarna nada além de aflição, NRN, que se tornou O Fosso e sete maldições em seu Dreugh, o Vermae NI-MOHK! Exceto por isso, as Cruzadas serão como a criação do meu senhor, chegue pelo Ge e faça como queres, sem grilhões além de sua própria consciência! Saiba que o seu Inferno é Quebrado, povo do Aurbis, e louve a Nu-Mantia que é a Liberdade!


Ant.: Comentários da Aurora Mítica 3 Acima: Comentários da Aurora Mítica Próx.: Nenhum