Lore:Companheiros

A UESPWiki – Sua fonte de The Elder Scrolls desde 1995
Lore: Facções: C(Redirecionado de Lore:Companions)



Jorrvaskr, lar dos Companheiros
A Forja Celeste, sob Jorrvaskr

Para os aventureiros da Segunda Era que procuraram o Amuleto dos Reis, veja Cinco Companheiros.

Os Companheiros são um grupo de guerreiros que assumem contratos públicos e privados para o povo de Skyrim e que supostamente seguiram a tradição dos Quinhentos Companheiros de Ysgramor. Por mais que ambos grupos ofereçam serviços semelhantes, a Guilda dos Lutadores históricamente teve uma presença marcante em Skyrim[1][2] até o que parece ser uma substituição deles pelos Companheiros na Quarta Era. Sua base é na cidade de Passo Branco, junto com o salão de hidromel de Jorrvaskr.[3]Os membros de elite estão incluídos no Círculo de Jorrvaskr, e o conselheiro e árbitro principal é conhecido como o Precursor, depois de Ysgramor, o "precursor de nós todos" e o único verdadeiro líder reconhecido dos Companheiros.[4][5][6] Cada novo Precursor é escolhido pelo último.[6]

História

SR-banner-Companions.png

Quinhentos Companheiros

Os Companheiros tiveram um enorme impacto e influência em Skyrim ao longo da história registrada. Quando Ysgramor e seus dois filhos Yngol e Ylgar retornaram para Atmora após a Noite de Lágrimas, os Quinhentos Companheiros foram aqueles que responderam ao seu chamado de armas por guerra contra os elfos.[4][7][8] Um destes era Jeek do Rio, capitão do navio Jorrvaskr, amigo de infância de Ysgramor, e o primeiro Precursor (além de Ysgramor).[6][9] Jeek também foi o detentor do Juramento dos Companheiros, agora esquecido.[6] Jeek e sua equipe eram os amigos mais próximos de Ysgramor, e o primeiro a se separar do grupo principal e explorar a região selvagem e perigosa após a reconquista de Saarthal. Eles encontraram a Forja Celeste, uma antiga forja de origem desconhecida que precedeu a habitação élfica de Skyrim. Os elfos evitavam e temiam, como "era sabido dirigir uma magia quase tão antiga quanto Nirn, um remanescente dos esforços divinos para fazer um paraíso no Mundus antes da quebra de Lorkhan". Os Companheiros pensaram que qualquer coisa que os elfos temessem deveria valer a pena ter, e como a terra ao redor da área era fértil, Jeek do Rio estabeleceu a sala de hidromel, Jorrvaskr, e a cidade de Passo Branco.[9][10]

Salão de Pedra-infértil, o quartel general dos Companheiros da Fenda

Além do Jorrvaskr, os Companheiros também chegaram a Skyrim a bordo de outros navios, incluindo o Kaal Kaaz, o Krilot Lok, o Fogo-infértil, o Sadon Reyth e o Ylgermet.[11][12][13] O Círculo de Capitães decidiu que a tripulação de cada navio deveria sair por sua própria vontade e fazer sua própria lenda. A tripulação do Fogo-infértil viajou para o sul, para as terras ainda inexploradas por outras tripulações e, eventualmente, chegou a uma região que eles chamaram a Fenda. Eles lutaram e eventualmente derrotaram os elfos que habitavam a região, e o novo capitão, Vikord Mono-orelha, ordenou a construção de um grande salão no local da batalha final.[12] O salão foi nomeado Salão Pedra-inculta, e serviu como sede dos Companheiros da Fenda durante séculos. [1] No entanto, nenhum vestígio dele permaneceu por4E 201.[14]

Os Precursores

Várias centenas de anos depois, depois que os Companheiros foram estabelecidos como um grupo mercenário independente, o Precursor Mryfwiil, o Arredio, temeu que a participação em guerras e conflitos políticos destruíssem o grupo e decretou que Companheiros não tomassem parte de guerras ou conflitos políticos de qualquer tipo.[6] Desde então, os Companheiros se tornaram louvados em Skyrim como árbitros imparciais em questões de honra.[6][15][3] Num momento em que o preconceito racial e a fala de manter a pureza do sangue de Atmoran ameaçaram quebrar a paz em Skyrim, o Rubraguarda Cirroc o Imponente foi feito o primeiro Precursores não descendentes de Atmorano, provavelmente ajudando a dissipar as preocupações em torno de outros humanos sendo capazes de "nascer com o coração de um Nord". O reinado de Cirroc foi breve, embora ele instalasse uma proeza marcial no manejo da lâmina daqueles que ele ensinou.[10] Gerações depois, o Elfo Henantier o Estrangeiro foi declarado Precursor depois de ultrapassar todos os outros mais adequados ao papel,[10] cimentando assim uma tradição de tolerância racial nos Companheiros (causando também um número substancial de Companheiros partindo, no momento). Os Companheiros também podem reivindicar pelo menos uma mulher como ex-Precursora, Macke dos Olhos Penetrantes.[6]

O Círculo

Ao fim da Segunda Era, Kyrnil Longo-Nariz "reuniu os verdadeiros corações dos Companheiros na selva" e invadiu Jorrvaskr, "matando os usurpadores" e tornando-se Precursor. Ele fundou o Círculo, com o nome do Círculo de Capitães de Ysgramor. Os companheiros de elite do Círculo serviram como exemplos a outros membros e formaram efetivamente um órgão governante que se inclinou a venerar as velhas formas de "honra através do sangue".[6][10] Secretamente, entretanto, o Círculo e Precursores subsequentes praticavam a Licantropia de acordo com um acordo com as bruxas de Coven Glenmoril, que estabeleceram presença em Skyrim.[14]

Os detalhes específicos sobre como este acordo surgiu e as partes dele não são conhecidas. Embora Longo-Nariz tenha criado o Círculo e seja louvado por "retornar a honra pelo sangue" aos Companheiros,[6] um precursor chamado Terrfyg é creditado pioneiramente pela organização para "os caminhos da besta".[16] Independentemente disso, o Círculo aceitou este "presente" de Hircine como pagamento a eles pelas bruxas por serviços prestados, mas foram enganados em acreditar que não seria uma aflição permanente.[14][6][17] Por volta de 4E 201, alguns membros do Círculo, liderados pelo Precursor Kodlak Juba-Branca, acabaria por concluir que não era um presente, mas uma maldição com sérias implicações espirituais e trabalhou para eliminá-la dos Companheiros. Durante este tempo, o grupo foi alvo de caçadores de lobisomens chamados Mãos Pratas que conseguiram matar vários membros do círculo, incluindo o próprio Precursor Kodlak Juba-Branca. Buscando vingança pela morte de seu líder, os companheiros extinguiram os Mãos Pratas em seu esconderijo. O Coven Glenmoril também foi destruída por um novo guerreiro nas ordens de Kodlak antes de sua morte. Usando as cabeças cortadas das bruxas, os membros do Círculo sobreviventes se purificaram de seu sangue de besta e também purificaram a alma de Kodlak, permitindo que ele fosse para Sovngarde.

Precursores Conhecidos

Era Merética

Primeira Era

Segunda e Terceira Era

Quarta Era

Veja Também

Referências

  1. ^ a b c Eventos de ESO
  2. ^ Eventos de Arena
  3. ^ a b [[Lore:Nords de Skyrim|]]
  4. ^ a b [[Lore:Canções do Retorno, Vol. 2|]]
  5. ^ [[Lore:Canções do Retorno, Vol. 56|]]
  6. ^ a b c d e f g h i j k l m n o p q r [[Lore:Grandes Precursores|]]
  7. ^ [[Lore:Antes das Eras dos Homens|]]
  8. ^ Guia de Bolso do Império, 1º Edição: SkyrimSociedade Geográfica Imperial, 2E 864
  9. ^ a b [[Lore:Canções do Retorno, Vol. 7|]]
  10. ^ a b c d e f g h i j k [[Lore:O Guia Melhorado do Imperador de Tamriel/Skyrim|]]
  11. ^ Diálogo de Valdur em ESO
  12. ^ a b [[Lore:Canções do Retorno, Vol. 49|]]
  13. ^ [[Lore:Canções do Retorno, Vol. 19|]]
  14. ^ a b c d Events of Skyrim
  15. ^ A Cidade de Pedra: Guia de Markarth de um MercenárioAmanda Alleia
  16. ^ a b c [[Skyrim:Diário de Kodlak|]]
  17. ^ [[Lore:Lendas Licantrópicas de Skyrim|]]
  18. ^ Diálogo de Kodlak Juba-Branca em Skyrim