Lore:A Luz e a Escuridão

A UESPWiki – Sua fonte de The Elder Scrolls desde 1995
Visto Em:
A Luz e a Escuridão
Um homem descreve a Luz e a Escuridão para seus dois netos

"Sim, crianças, não é por acaso que esta terra de Tamriel foi chamada de 'Arena'." O velho alterou sua posição na grande pedra que suportava seu peso e endireitou seu longo manto cinzento. Olhos esbugalhados perderam o foco enquanto olhavam para o vale aquecido pelo sol nas montanhas de Pedra Alta. Por um momento ele viu uma visão de horrores antigos, em vez de uma vegetação fresca da primavera. Um calafrio percorreu seus velhos ossos.

"Este é um tema adequado para os jovens e inocentes?" ele se perguntou. Os jovens devem ser ensinados, mas eles devem aprender sobre tais coisas agora, quando deveriam estar brincando à luz do sol? Este é um conto para um inverno sombrio, com o vento uivando do lado de fora de uma cidade murada e as portas e janelas fechadas e aparafusadas contra a explosão e o frio e -- outras coisas.

Ele olhou com afeição para seus dois netos: o garotinho de cabelos claros com uma pitada de travessura dançando em seus olhos, mesmo nas raras ocasiões em que estava sentado em silêncio, e em sua irmã mais velha. Uma moça serena, pensou o velho. Seu cabelo era como uma chama escura e suas orelhas levemente pontudas eram os únicos sinais óbvios de sangue élfico. Assim como a avó dela, pensou o velho. O passado é passado e I'shira trouxe-lhe muita paz e felicidade após uma vida de batalha. Ele forçou seus pensamentos de volta ao presente.

“Desculpe-me, crianças. Estava lembrando de coisas. Pessoas velhas fazem isso, sabe”

“Vai nos contar a história de Jagar Tharn e do Imperador e do Eterno Campeão?” Seu neto perguntou. “Essa é a minha favorita!”

"Não exatamente, filho. Eles eram parte dela, de certa forma. Assim como I'ric e Moraelyn e Edward e Reymon e muitos outros. Até os deuses desempenham um papel. Esta é uma história muito mais antiga, e até mesmo os padres não vou contar do meu jeito. Eles têm suas próprias interpretações e seus medos também. Eu estou muito velho e vi muito para ter qualquer medo, exceto que nosso povo esqueça. E esquecer é perigoso. Então eu, e alguns outros, carregam esse conto e tentam espalhá-lo entre as gerações mais jovens. Você não tem idade suficiente para entender tudo, mas eu posso sentir que meu fim não está longe. Eu devo pedir para você lembrar de qualquer maneira. Em alguns anos, talvez, se eu ainda viver, podemos discuti-la novamente. Se não, bem, você deve procurar outras pessoas que saibam e comparar as notas."

“Você fala como se fosse morrer, Vovô,” sua neta falou. “Isso não pode acontecer. Você viverá eternamente!”

Rindo, “Temo que não, querida. Mas eu tenho um tempinho sobrando, suficiente para a história”

As crianças encostaram num velho carvalho, sabendo que o velho homem não poderia ser apressado. Se inclinando para frente, ele começou:

"Há muito, muito tempo, antes que houvesse qualquer pessoa; mesmo antes dos deuses, Tamriel foi escolhida como um campo de batalha por duas -- coisas. É difícil encontrar palavras que se encaixem bem nelas. Eu as chamo de Luz e Escuridão. Outros usam nomes diferentes, Bem e Mal, Pássaro e Serpente, Ordem e Caos. Nenhum desses nomes realmente se aplica. É suficiente que eles sejam opostos, e totalmente antitéticos. Nenhum deles é realmente bom ou mau, da forma como conhecemos as palavras. São imortais, uma vez que não realmente vivem, mas existem. Mesmo os deuses e seus inimigos daedricos são pálidos reflexos do eterno conflito entre eles, é como se a sua luta criasse energias que distorcem o ambiente, e essas energias são tão poderosas que a vida pode aparecer, como um redemoinho em um riacho."

“Os demônios e trolls vêm da Escuridão, Vovô?”

“Não exatamente, filho. Os males mortos-vivos que conhecemos e os demônios que vivem em Oblívio tendem a se alinhar com a Escuridão. Suas naturezas são mais parecidas com isso. Os humanos e os outros povos de Tamriel, até os mal compreendidos Elfos Negros, são mais alinhados com a Luz. Nossos males nem sempre são do Escuro, mas alguns são, e estes são os verdadeiramente perigosos. Jagar Tharn estava quase totalmente alinhado com o Escuro, e é por isso que ele era tão monstruoso. Não eram porque ele era um mago negro, como alguns o tem.”

“A magia dele vinha da Escuridão, vovô?” O interesse da garota foi aumentado pela menção de magia. Sua hereditariedade começou a aparecer, pensou o velho homem.

"Não, o poder mágico vem diretamente das energias que rodopiam sobre ambas as entidades. Essas energias são impessoais e todas misturadas. Magia negra é mais uma questão de intenção do que efeito. A Guilda dos Magos afirma que uma bola de fogo dirigida contra uma criatura com a intenção de causar dano, não é magia negra, mas o mesmo feitiço dirigido a um buscador da paz é. Nisso, eles estão certos. Destruição de um daedra de fogo fortalece a Luz e enfraquece o Escuro um pouco. De um unicórnio fortalece o Escuro.”

“E os deuses? Eles vêm da Luz? Os olhos do garoto estavam animados, mas com toques de apreensão. Ele adorava histórias de deuses e deusas dos panteões de Tamriel, e os heróis que os serviam.

O velho riu. "Os deuses têm uma origem incomum, se alguns dos contos mais antigos são verdadeiros. Os habitantes mais antigos deste mundo - ninguém parece ter certeza de que raça eles eram - tinham um sistema de mitos em que acreditavam por mil anos. O povo de et'Ada acreditou por tanto tempo e tão bem, que suas crenças podem, talvez, ter recorrido às energias que cercam Tamriel para trazer os deuses em si. Se é assim, o conflito entre a Luz e o Escuridão forneceu a energia, e o et'Adans a estrutura, que criou os deuses de Tamriel. Ninguém sabe realmente já que foi há tanto tempo e tão pouco sobreviveu daquele momento. Não importa mais, os deuses têm sua própria existência agora, e principalmente alinhada com a Luz, exceto por alguns que são, digamos, um pouco ambíguo."

“Por que tenho de lembrar disso, Vô? De que perigo você falou? Se Luz e Escuridão são tão grandes e poderosas, podemos influenciá-las? Deveríamos tentar? Pelo que devemos lutar?”

"Eu vejo que suas faculdades críticas estão se desenvolvendo, Solara. Isso é bom. A resposta é simples, mas bastante grande para meros mortais como nós. A Luz e a Escuridão são pareadas, e talvez nunca resolvam o conflito. Os mortais e os os seres do Aetherius às vezes podem perceber traços delas, aí reside o perigo, para a maioria de nós a Luz é mais congenial, até mesmo inspiradora, e nos leva ao comportamento que nós chamaríamos de bom. Para criaturas como nós, o Escuro é -- horrível. Aqueles que têm visões dele são muitas vezes levados à loucura, e aqueles que não são seriam melhores mortos. A escuridão é para nós um vazio monstruoso, um vazio que suga a alma em direção a ele -- para ser torcida, mutilada e em última análise destruída. O que podemos ver dela parece totalmente mal. Talvez em outro lugar isso não seja assim, mas em nosso mundo, é."

O velho homem parou para juntar os pensamentos, olhando mais uma vez para a fresca nova vida da primavera. "O que devemos fazer é nunca esquecer que a Escuridão está sempre lá, acenando para as almas fracas entre nós. Se ela ganhasse ascendência sobre Tamriel, através de agentes pervertidos por sua terrível atração, coisas terríveis poderiam acontecer. Tudo o que temos de belo ou desejável, até mesmo o amor em si, seria varrido. Paz e esperança não existiriam mais. Para Tamriel, isso seria o pior desastre possível. O que eu vi durante o reinado de Jagar quase me matou, quase destruiu minha mente. Quando ele foi destruído, achei que o pior já tinha acabado, mas não tinha. As forças do Escuro estão em marcha novamente, e novos heróis devem se levantar para se juntar ao Eterno Campeão na luta contra elas."

O velho homem e as duas crianças ficaram em silêncio por muitos minutos. Finalmente, as crianças ajudaram o avô a ficar de pé, e eles caminharam lentamente. Para casa, e lareira, e comida.