Lore:Morrowind

The UESPWiki – Your source for The Elder Scrolls since 1995
Morrowind
Tipo Província
Continente Tamriel
Aparece em Arena, Morrowind, Dragonborn, ESO
Nação: Morrowind
Capital: Forte da Lamentação (até 4E 5),
Luz Negra (a partir de 4E 201)
População Nativa: Dunmer
Fundação: por volta de 1E 700
Chefe de Estado: Grande Conselho das Casas
Idioma Oficial: Dunmeris
Moeda: Septim
Dunmer, habitantes de Morrowind

Morrowind, anteriormente chamada de Dwemereth, Veloth, Resdayn, e Dunmereth, é a província no canto nordeste de Tamriel e lar dos Dunmer. Composta dominantemente pela ilha de Vvardenfell que tem em sua fração central a cuspidora de cinzas Montanha Vermelha e pela parcela continental. O Mar Interno separa Vvardenfell da parte continental, enquanto o Mar dos Fantasmas fica ao norte da província.[1][2][3] Solstheim, uma ilha no mar a noroeste de Morrowind, não foi associada tradicionalmente a quaisquer província, por mais que Morrowind a tenha reivindicada a muito tempo.[4] Os Nórdicos de Skyrim concederam a ilha a Morrowind em 4E 16 após o Ano Vermelho, permitindo que os Dunmer se assentassem sem contestação.[5][6]

Geografia

As Montanhas Velothi separam Morrowind das províncias a oeste, e desenvolveram um ecossistema único. As passagens, como por exemplo o Desfiladeiro Dunmeth, são importantes rotas de comércio. As planícies de Deshaan localizadas a sul formam uma depressão até Pântano Negro. Em um dia limpo, habitantes de Forte da Lamentação podem ver a Montanha Vermelha a mais de 400 km de distância[3] (por mais que a definição da unidade de distância seja desconhecida). As terras orientais ficam sujeitas a grande atividade vulcânica, e Morrowind mostra os sinais disto de forma latente. O movimento das nuvens mostra que Morrowind tem predominantemente seus ventos na direção sul devido ao declive topográfico resultando em um suave, mas quente, clima. Morrowind não tem neve ou gelo (a não ser em Solstheim), diferente das outras províncias em latitudes próximas.

Morrowind Continental

A parte continental de Morrowind consiste nas Montanhas Velothi, as férteis planícies de Deshaan (que inclui mangues), e as montanhas que compõem a península nordeste da província, que envolvem parcialmente Vvardenfell e o Mar Interno A cidade de Luz Negra, uma fortaleza Redoran, é localizada no nordeste da parcela continental, próxima ao Desfiladeiro Dunmeth. Forte da Lamentação e Narsis se ecnontram próximas da área central do continente, a cidade de Fissura fica na parte sudeste, próxima a Pântano Negro, enquanto Kragenermo se encontra a sudoeste, próxima a Cyrodiil, Necrom fica na costa leste.[2] A Cidade Engrenagem de Sotha Sil se localizava secretamente abaixo de Forte da Lamentação em 2E 583;[7] contradizendo rumores que diziam que a mesma ficava nos pântanos sulinos,[3] e em Coração-Ébano,[8] dado o tamanho diminutivo da cidade, é possível que tenha sido movida diversas vezes para garantir sua segurança.

Bal Foyen

Morrowind continental é dividida em diversas regiões, entre elas Bal Foyen, Cataratas de Pedra, e Deshaan.[9]

Bal Foyen

Bal Foyen é uma região pequena, composta majoritariamente de manguezais na costa sudeste do Mar Interno, situada entre Cataratas de Pedra e a península nordeste. A região contém as cidades de Dhalmora e Forte Zeren.[9]

Stonefalls

Cataratas de Pedra

Cataratas de Pedra é uma região situada ao longo da costa sudoeste do Mar Interno. Faz fronteira com Bal Foyen a leste, Deshaan a sul, Cyrodiil a oeste, a Fenda em Skyrim a noroeste e ao norte a parte das Motanhas Velothi de Morrowind. Se localizam na região as cidades de Vigília de Davon, Coração-Ébano, e Kragenermo. Outros notáveis locais incluem a necrópole de Othrenis e dois grandes vulcões, Montanha Gris e Pináculo Atormentado.[9]

A paisagem flutua de penhascos vulcânicos a férteis campos e florestas fúngicas.[9]

Deshaan

Deshaan

Deshaan é uma região ao sul de Morrowind, situada entre Cataratas de Pedra, Cyrodiil, Charco Sombrio em Pântano Negro, e as costas orientais de Morrowind. Se localizam na região as cidades de Forte da Lamentação, cercada pelo Lago Amaya, assim como Narsis às margens do Lago Hlaalu. Também é lar da academia mágica de Shad Astula e do Santuário de São Veloth.[9]

A região consiste em exuberantes áreas verdes, florestas fúngicas e os mangues sulinos.[9]

Península Telvanni

A Península Telvanni[10] compreende o braço leste da porção continental, e está comprimida pelo Mar Interno a oeste e pelo Oceano Padomáico a norte e leste. Pelo nome da região, presume-se a localização da fortaleza da Casa Telvanni.

Gorne

Gorne é uma pequena ilha no litoral leste, próxima de Necrom.[11] Muitas estranhas criaturas não encontradas em lugar algum de Tamriel habitam Gorne. Entre elas se econtra o Lobo Listrado, uma espécie de lobo que aterrorizou os colonizadores da ilha até que foram suprimidos em uma ocorrência chamada Caça da Casa Problemática.[12]

Solstheim

Solstheim, algumas vezes escrito incorretamente Soulstheim, é uma grande ilha no Mar dos Fantasmas ao norte de Tamriel. Se tornou oficialmente uma região de Morrowind em 4E 16. A ilha tem um longo histórico de servir de lar para outras raças, mas sua influência pioneira e tradicional foi majoritariamente Nórdica.

Vvardenfell (Dragonborn)

Vvardenfell

A grande ilha de Vvardenfell se localiza dentro do mar Interno e é cercada quase completamente por Morrowind continental, exceto pelo norte, que encontra o Mar dos Fantasmas. É um dos seis Distritos Imperiais da província de Morrowind. Tal distrito é dominado pelo grande vulcão, a Montanha Vermelha. Caracterizado por desertos de cinzas, planaltos rochosos e regiões úmidas costeiras preenchidas por flaura e flora incomuns.

Antes da erupção da Montanha Vermelha em 4E 5, a paisagem de Vvardenfell era bastante diversa, com as planícies de grama das Ilhas Ascadian e das Pastagens, os brejos de Talho Oeste, os penhascos vulcânicos dos Grisermos, Molag Amur e da Montanha Vermelha, e as áreas costeiras de Costa de Azura, a Costa Amarga, Baía Zafirbel, as regiões de Sheogorad e Firemoth.[1]

História

"Dwemereth" foi habitada pelos Dwemer desde tempos imemoriais, mas a história de Morrowind sob sua regência é um mistério. Quando os exilados Chimer, liderados pelo profeta Veloth saíram das Ilhas do Semprestio e seguiram ao que eles consideravam sua terra prometida,[13] onde eles econtraram os Dwemer já bem-assentados em suas colônias subterrâneas. As duas raças não conseguiam conviver em paz, vendo que disputas territoriais e religiosas sempre levavam ao conflito.[2] Porém, ao se unirem contra um inimigo comum após quase duzentos anos de opressão dos Nórdicos de Skyrim, cujo invadiram a região por volta de 1E 240.[14] Devido a amizade pessoal entre Indoril Nerevar dos Chimer e o Rei Dwemer Dumac, uma aliança entre os dois povos foi formada e os Nords foram expulsos das terras em 1E 416. Tal aliança formada em tempos de necessidade preparou o terreno para a criação do Primeiro Conselho.[3]

Almalexia (Morrowind)

Resdayn

Um afresco representando Veloth liderando o êxodo Chimeri

Nerevar e Dumac reinaram juntos sobre "Resdayn". A paz entre os Dwemer e Chimer trouxe prosperidade, mas a Guerra do Primeiro Conselho se iniciou quando as relações afunilaram. A guerra acabou com a Batalha da Montanha Vermelha, que resultou na morte dos dois líderes. Almalexia, Sotha Sil, Vivec, e Dagoth Ur tocaram o Coração de Lorkhan para receberem poderes divinos (entretanto Dagoth Ur desapareceu até 2E 882).[15][16] Como resultado, os Chimer se tornaram os Dunmer.[15] Montanha Vermelha entrou em erupção (durante a batalha, aparentemente),[17][18] levando miséria a Morrowind.[3] 1E 668 foi conhecido como "Morte do Sol" e o "Ano do Inverno no Verão".[14] Acredita-se que sua erupção criou o Mar Interno e destruiu cidades inteiras,[19][20][21][22] e levou a uma migração massa da população ao sul. Algum tempo depois da erupção a província passou a ser conhecida como Morrowind.[3][2] Algumas fontes sugerem que tal nome não foi popularizado até o fim da Segunda Era.[13]

Vivec (Morrowind)

Morrowind sob o Tribunal

Morrowind sob o Tribunal marca o início da história Dunmeri. O Tribunal consolidou seu poder e se incorporou às crenças Chimeri de adoração Daedra, ao custo da proibição da adoração a Casa dos Problemas, cujos Dunmer conheciam como "Daedra Malignos".[23] Muitos santuários a estes Príncipes Daédricos ainda são encontrados em Morrowind, porém ao final da Terceira Era, se tornaram ruínas abandonadas tipicamente habitadas por monstros e criminosos.[1] O Tribunal substituiu o Primeiro Conselho e o Grande Conselho de Morrowind,[24][25] e performou muitos feitos incríveis como os imortais protetores e líderes dos Dunmer. Cyrodiil desejou incorporar Morrowind ao Império da Dinastia Reman, perpetrando assim a sanguinária Guerra dos Quatro Pontos, que ao fim terminou com um tratado.[2]

Em 2E 572, o exército Akaviri de Ada'Soom Dir-Kamal invadiu o nordeste de Tamriel. Eles foram derrotados em Cataratas de Pedra pelas forças combinadas dos Nórdicos (junto do Gris-Rei Wulfharth), legiões Dunmer de Almalexia e os Argonianos Carapaça .[26] Este evento levou a formação do Pacto Coração-Ébano, uma nada-fácil aliança entre os Nórdicos, os Dunmer e os Argonianos. O Pacto depois veio a participar da Guerra das Alianças.[9]

Para a surpresa de quase todos, não houve conflitos na ascensão do Terceiro Império, e Tiber Septim e sua ambição de conquista foram preenchidas apenas com diplomacia. Vivec e Tiber Septim chegaram a um acordo de Armistício por volta de 2E 896. Os Dunmer se tornaram cidadãos Imperiais e se submeteram a ocupação da Legião Imperial e a incursão de instituições Cyrodílicas, assim como seus interesses e negócios, ainda que retendo sua autonomia, tradições das Casas e práticas religiosas. Vivec secretamente forneceu o golem Numidium aos agentes do Imperador como parte do acordo.[2][24][27]

Os Dunmer, e os Chimer antes deles, dividiram Morrowind em distritos políticos baseados em suas Grandes Casas. Um número desconhecido de Grandes Casas ascendeu e ruíu durante os anos, porém ao fim da Terceira Era, a Casa Redoran controlava a parte ocidental de Morrowind continental fronteiriça a Cyrodiil e Skyrim. Casa Hlaalu controlou a região centro-oeste da porção continental, enquanto a Casa Indoril controlava a região centro-leste. Casa Dres controlou a área fronteiriça a Pântano Negro. Casa Telvanni controlou a região oriental do continente.[1][3][28] Por tempos, Vvardenfell foi um Temple preservado predominantemente habitado por algumas Grandes Casas, assim como pelos Grisermantes, mas se abriu a maior colonização em 3E 414.[13] Casa Telvanni tomou conta do leste, Casa Hlaalu tomou parte do centro e o sudoeste alagadiço, por último, Casa Redoran dominava as áreas restantes, por mais que se recusasse a expandir seus assentamentos.[13][28]

Escravas pertencentes a Telvanni (Morrowind)

Morrowind sob o Tribunalse distinguia do resto de Tamriel em muitas maneiras. A princípio, a legalização do assassinato já a distinguia.[3] Não apenas isso, os Dunmer baniram necromancia em suas terras bem antes da Guilda dos Magos achar válido aderir ao banimento.[29][30] Entretanto, necromanceres poderiam continuar a operar secretamente graças a outra instituição peculiar de Morrowind: a escravidão.[29] Por muito tempo os Dunmer escravizaram humanos e elfos, mas concentravam-se nas raças bestiais, como Khajiit, Argonianos, e Goblins. O direito de garantia a esta trdição foi assegurado no Armistício, e continuou virtualmente até o fim da Terceira Era, majoritariamente devido a pressão das Casas Dres e Telvanni, a parte de todo o desprezo a escravidão pelo resto de Tamriel.[1][3][31] Nos anos finais da Era, o novo Rei Helseth, procurando uma maneira de exercer sua autoridade, baniu a controversa prática, incitando incialmente uma reação sangrenta.[2] Como os Dunmer futuramente descobririam, suas transgressões não seriam perdoadas.

Dagoth Ur acordou na Montanha Vermelha em 2E 882, sendo arauto de grandes mudanças em Morrowind. O Tribunal lliderou campanhas contra ele e seus lacaios por mais de cem anos.[16] Por volta de 3E 417, a Grande Ghostfence foi apontada como residência da ameaça,[32] por mais que algumas fontes sugiram que Ghostfence existiu por centenas de anos antes do acontecido.[13] A enorme barreira azul mágica circundou a inteira região da Montanha Vermelha em Vvardenfell, mas ainda assim, os monstros de Dagoth Ur e o Blight conseguiram se infiltrar. Com o advento do Nerevarine em 3E 427, Almalexia, Sotha Sil, e Dagoth Ur morreram, enquanto Vivec desapareceu. Os Dunmer ainda tiveram dificuldades de entrarem em consenso com isto ao fim da Terceira Era.[1][33]

O Ministério da Verdade sobre o Alto Fano em Vivec (Morrowind)

A Quarta Era

Após a Crise do Oblivion, os Nórdicos e os Orcs deferiram ataques.[34] Na ausência de Vivec, o Ministério da Verdade eventualmente caiu, destruindo a Cidade de Vivec e causando a erupção da Montanha Vermelha, cobrindo o resto de Vvardenfell em cinzas e lava. Desde tal acontecimentos, o Ano Vermelho de 4E 5, a Montanha Vermelha esteve cuspindo cinzas ainda mais frequentemente que antes, e Vvardenfell continua em sua maioria inabitável. Quando Solstheim se tornou sob a regência Dunmer, os Redoran tomaram sua administração, e os Telvanni também estabeleceram a colonização de Tel Mithryn.[35]

Os Argonianos de Pântano Negro, durante isto, estavam mais fortes do que nunca e logo invadiram Morrowind, dominando grandes porções do território que a muito tempo perteniam a eles.[34] Eles também saquearam diversas cidades, incluindo Forte da Lamentação, ao sul de Morrowind. Por mais que o exército Redoran impediu seu avanço, incontáveis Dunmer foram mortos ou invalidados,[36] sendo assim forçados a estabelecerem dezenas de colônias em outros lugares, incluindo a ilha de Solstheim.[37] A parte de colônias organizadas, muitos refugiados Dunmer se assentaram em Skyrim, especialmente no chamado Quarteirão Cinza de Venturia. Enquanto Forte da Lamentação estava sendo reconstruído,[38] a capital de Morrowind foi movida a Rootspire na cidade Redoran de Luz Negra, já que a liderança da Casa Redoran exibiu uma grande representação de poder e influência.[39]

A inefetiva proteção do Império e sua indiferença com os pedidos de Morrowind fez com que os Dunmer se sentissem insultados. Depois do Império "afrouxar seu domínio" em Morrowind,[36] a Casa Hlaalu e seus laços Imperiais fraquejaram resultando na sua reposição pela Casa Sadras no Conselho das Grandes Casas.[40][41]

Pára-sóis Imperiais (Dragonborn)

Flora

O tipo de planta mais visto em Morrowind é o imponente cogumelo imperador pára-sol, um fungo do tamanho de uma árvore. Eles marcam toda a paisagem de Morrowind, particularmente em regiões Telvanni. Outros tipos de fungo incluindo bloatspore, bungler's bane, hypha facia, russula luminosa e coprinus violeta. Grande parte da flora de Morrowind tem de se adaptar ao rigoroso ambiente, como o líquen negro, fire fern, e chokeweed, encontradas em áreas rochosas e inférteis. kreshweed e salgarroz costumam prosperar em água salgada e podem ser encontradas ao longo da extensa costa de Morrowind. Algumas plantas não se adaptaram e se tornaram raras, como o líquen vermelho e o líquen verde.[1][33]

Escabalha (Dragonborn)

Os Dunmer conseguiram se organizar com o que tinham. Eles domesticaram diversas plantas, como repolho scrib, que crescem comumente junto de plantas de interior. Wickwheat é um grão comestível que cresce selvagem. Salgarroz é tanto uma importante plantação alimentícia quanto o ingrediente principal na popular bebida alcóolica chamada mazte. Muck é preparado da comum planta muck esponja. As raízes do arbusto Trama são usadas para fazer chá. Os frutos de comberry são comestíveis, por mais que amargos. Algo mais gostoso, como folhas de hackle-lo ou marshmerrow em polpa são preferidos. Corkbulb tem fortes raízes usadas para construção no lugar de madeira. Dunmer tem ash yams como parte de sua dieta há muito tempo, visto que o vegetal prospera quando plantado em cinzas (como em seu nome). parte de sua vegetação é buscada como ingrediente para alquimia, como por exemplo draggle tail, o musgo de pára-sol imperador, meadow rye, nirthfly, roobrush, scathecraw, slough ferns, spike grass, spiny lloramor, e sweetbarrel. Vinhas florescentes de bittergreen podem ser encontradas tanto em regiões secas quanto alagadas. Diversas outras flores, incluindo black anther, gold kanet, golden sedge, heather, horn lily, noble sedge, stoneflower, timsa-come-by, e a willow flower.[1][33]

Arquitetura

Tel Naga, uma típica torre Telvanni (Morrowind)

Diferentes estilos de arquitetura podem ser vistos por Morrowind:

  • Estilos Dunmeri:
    • Estilo Redoran, com casas orgânicas, semelhantes a de caranguejos. Este estilo estava presente em Vvardenfell na Segunda Era[7] e Terceira Era.[1]
    • Estilo Hlaalu, com casas simples e cúbicas. Tal estilo era presente em Vvardenfellna Segunda[7] e Terceira Eras.[1]
    • Estilo Telvanni, com distorcidas e bizarras torres de cogumelo. Este estio era presente em Vvardenfell na Segunda[42][7] e Terceira Eras.[1]
    • Estilo Velothi, visto em tumbas ancestrais, torres antigas e construções do Templo.[1][9]
    • Arquitetura Responsável, um estilo que se originou na Primeira Era e é atribuido ao Príncipe Daédrico Boethiah.[43][19] Tal estilo é similar ao visto em diversas ruínas daédricas em Morrowind, e foi usado pelo famoso arquiteto Guylaine Marilie para cosntruir uma prisão que conteria Daedra no sítio onde Forte Arand foi futuramente construído.[9][43]
    • Um estilo não nomeado, apresentando construções de pedra ornamentada com telhados pontudos era comum na área continental de Morrowind na Segunda Era e inclusive foi visto até mesmo em Cyrodiil. A cidade de Forte da Lamentação reteve tal estilo na Terceira Era.[1][9]
  • Outros Estilos:
    • Os assentamentos imperiais fundados em Vvardenfell depois de 3E 414 eram construídos no estilo tradicional Imperial.[1]
    • Ruínas Daédrica e Dwemer datadas do início da Primeira Era são comuns em Morrowind, tanto em Vvardenfell quanto na área continental.[1][9] As enormes abóbodas curvadas dos santuários Daédricos são consideradas confortáveis pelos Dunmer devido a sua robustez, enquanto os estrangeiros as consideram brutais e opressivas.[44]
    • Arquitetura Argoniana em estruturas de barro, em formato de bulbo, floresceram por um tempo dem Morrowind após a formação do Pacto Coração-Ébano e a alforria dos escravos Argonianos na Segunda Era.[9]

Fauna

Netches (Dragonborn)

Silt Striders, netches, e guar são algumas das icônicas bestas encontradas em Morrowind. Mas não menos importante, kwama, enormes insetos cavadores em Vvardenfell cujos ovos os Dunmer construíram uma indústria "mineiradora" alimentícia. Slaughterfish e dreugh preenchem as águas de Morrowind, e mudcrabs alinham-se nas costas. Incômodos cliff racers dominam os céus em números tão enormes que se diz que eles afastaram os dragões (porém, as próprias aves foram extintas de Vvardenfell por São Jiub). Os grandes e negros insetos shalk em áreas selvagens podem atacar com fogo mágico, se ameaçados. Vários Daedras podem ser encontrados vagando, como os Winged Twilight, junto de diversas criaturas de cinza entre outras bestas naturais, como os alits, kagouti, e alcateias de nix-hounds. Goblins são conhecidos por habitarem as profundezas de Morrowind, onde mantém durzogs, répteis ferozes semelhantes a caninos, como animais patrulheiros e guerreiros. E, como virtualmente qualquer outro lugar em Tamriel, ratos são comuns.[1][33]

Lugares Notáveis

Vvardenfell

Ald'ruhn (Morrowind)
Um Cantão de Vivec (Morrowind)
Ald'ruhn
Uma cidade Redoran no oeste de Vvardenfell, sudoeste da Montanha Vermelha.
Balmora
Uma cidade Hlaalu no sudoeste de Vvardenfell, no Rio Odai.
Castelo Coração-Ébano
O coração da autoridade Imperial em Vvardenfell. Abriga o Duque governante e o Grande Conselho de Vvardenfell, assim como o quartel general do Culto Imperial e a Companhia do Império Oriental.
Gnisis
Um relativamente grande cidade no noroeste da costa de Vvardenfell.
Montanha Vermelha
O vulcão ao centro de Vvardenfell, e a antiga capital dos Dwemer.
Sadrith Mora
Uma cidade Telvanni em uma ilha no arquipélago localizado na costa oriental de Vvardenfell.
Seyda Neen
Pequena cidade Imperial no sudoeste de Vvardenfell.
Vivec
Importante cidade na costa sul de Vvardenfell e lar do deus Vivec. Destruída pela queda do Ministério da Verdade.
Templo de Forte da Lamentação (Tribunal)

Morrowind Continental

Almalexia
Uma importante cidade Indoril ao sul de Morrowind.
Luz Negra
Cidade Redoran , no distrito Redoran, noroeste de Morrowind. Se tornou a capital após o saque de Almalexia.
Cidade Engrenagem
Um complexo subterrâneo criado por Sotha Sil, membro do Tribunal.
Vigília de Davon
Cidade Indoril a leste de Coração-Ébano.
Firewatch
Cidade do distrito nortenho Telvanni, nordeste de Morrowind.
Kragenermo
Uma cidade Hlaalu (anteriormente Dres) no oeste de Morrowind.
Forte da Lamentação
Uma cidade Indoril ao sul de Morrowind. Capital de Morrowind até 4E 5.
Narsis
Cidade Hlaalu no sudoeste de Morrowind.
Necrom
Cidade controlada pelo Templo na costa oriental de Morrowind.
Coração-Ébano
Cidade Dres localizada ao sul de Vvardenfell, na costa sul do Mar Interno.
Fissura
Cidade Dres na costa sudeste de Morrowind.

Galeria

Notas

  • Morrowind foi representado em Arena, Morrowind, e ESO. Apenas a ilha de Solstheim foi apresentada em Dragonborn, expansão de TES V: Skyrim, ainda que partes de Vvardenfell e Morrowind continental fossem visíveis.

Veja Também

  • Para informações específicas do jogo, veja o artigo de Morrowind.

Livros

Referências

  1. ^ a b c d e f g h i j k l m n o p Eventos de Morrowind
  2. ^ a b c d e f g Pocket Guide to the Empire, 3rd Edition: The Temple: MorrowindImperial Geographical Society, 3E 432
  3. ^ a b c d e f g h i [[Lore:Guia de Bolso do Império, 1º Edição/Morrowind|]]
  4. ^ [[Books:Lorde das Almas|]]
  5. ^ [[Skyrim:Decreto de Monumento|]]
  6. ^ [[Lore:História de Rocha do Corvo|]]
  7. ^ a b c d Eventos de Elder Scrolls Online: Morrowind
  8. ^ Livro Doze de 2920, O Último Ano da Primeira Era - Estrela da NoiteCarlovac Townway
  9. ^ a b c d e f g h i j k l Eventos de ESO
  10. ^ [[Lore:A Segunda Invasão Akaviri|]]
  11. ^ [[Lore:Pai dos Níben|]]
  12. ^ Descrição da Montaria de Lobo Listrado de Gorne em ESO
  13. ^ a b c d e [[Lore:Uma Curta História de Morrowind|]]
  14. ^ a b Guia de Bolso do Império, 1º Edição: SkyrimSociedade Geográfica Imperial, 2E 864
  15. ^ a b [[Lore:A Batalha da Montanha Vermelha|]]
  16. ^ a b [[Lore:Planos de Dagoth Ur|]]
  17. ^ A Heresia Arcturianao Rei Ínfero, Ysmir Coroador-de-Reis
  18. ^ [[Lore:Cinco Canções de Wulfharth|]]
  19. ^ a b Variedades da Fé no ImpérioIrmão Mikhael Karkuxor
  20. ^ [[Lore:Ruínas de Kemel-Ze|]]
  21. ^ [[Lore:A Missiva Nirnoot|]]
  22. ^ [[Lore:36 Lições de Vivec, Sermão 36|]]
  23. ^ [[Lore:A Casa dos Problemas|]]
  24. ^ a b [[Lore:Em Morrowind|]]
  25. ^ [[Lore:A Guerra do Primeiro Conselho|]]
  26. ^ [[Lore:Jorunn o Rei-Escaldo (livro)|]]
  27. ^ Diálogo de Artisa Arelas em Morrowind.
  28. ^ a b [[Lore:Grandes Casas de Morrowind|]]
  29. ^ a b [[Lore:Preparação Corporal|]]
  30. ^ [[Lore:As Artes Negras em Julgamento|]]
  31. ^ [[Lore:As Províncias Orientais|]]
  32. ^ Diálogo de Mehra Helas em Tribunal.
  33. ^ a b c d Eventos de Tribunal
  34. ^ a b [[Books:A Cidade Infernal|]]
  35. ^ Eventos de Dragonborn
  36. ^ a b Diálogo de Adril Arano em Dragonborn.
  37. ^ [[Dragonborn:A Resposta da Casa Redoran|]]
  38. ^ [[Dragonborn:Para Milore de Nilara|]]
  39. ^ Diálogo de Cindiri Arano em Dragonborn.
  40. ^ [[Lore:História de Pedra do Corvo, Vol. III|]]
  41. ^ Diálogo de Lleril Morvayn em Dragonborn.
  42. ^ Correspondências de Madam Firilanya's mecionam torres Telvanni.
  43. ^ a b Texto da tela de carregamento doForte Arand em ESO
  44. ^ Lair of the Skin Stealer loading screen text in ESO